Promotor não viu crime em exposição Queermuseu

13/09/2017 14:21
Promotor não viu crime em exposição Queermuseu

O promotor Júlio de Almeida, do Ministério Público do rio Grande do Sul, analisou a exposição Queermuseu - Cartografias da Diferença na Arte Brasileira e disse que não houve crime. E exposição foi cancelada pelo grupo Santander depois que grupos disseram que as obras eram de teor sexual. Após a visita o promotor disse que a mostra não contém imagens que levem a incitação à pedofilia segundo o Estaturto da Criança e do Adolescente. O caso teve grande repercussão nacional e ganhou a atenção dos jornais The New York Times, The Washington Post e o britânico The Guardin.

 

LEIA MAIS SOBRE

VEJA MAIS NOTÍCIAS

VER MAIS +